Follow by Email

domingo, 14 de agosto de 2011

DIA DOS PAIS

IMACULADA CONCEIÇÃO CELEBRA O DIA DOS PAIS
Como é de tradição, a Paróquia Imaculada Conceição de Ipiranga, São Paulo, celebra todos os eventos religiosos e sociais como forma de se inteirar dos acontecimentos dos seus fiéis e fazer parte da sociedade. Para a festa dos pais que geralmente se celebra no segundo domingo de agosto, a paróquia começou com as homenagens no sábado a tarde, durante a missa vespertina, da responsabildade da turma da Catequese e de crisma, na sua maioria crianças e adolescentes que não perderam a chance de cantar parabéns aos pais. O padre Vicente, Pároco, deu de presente cada um dos pais estavam na missa um cartão dedicado a eles: Pais a exemplo de José que soube constituir uma família exemplar nas terras de Nazaré. Perante os desáfios atuais de fragilidades das famílias, os pais são convidados, mais uma mais, a levar para frente o papel de bons educadores para a construção de um mundo melhor.
Para mais reflexão sobre o dia dos pais, vamos postar uma mensagem  para o dia das vocações como forma de incentivar as familias a falar como os filhos sobre o assunto: Vocações: matrimonial, sacerdotal e vida consagrada.


Mensagem do Santo Padre para o Dia Mundial 48 de Oração pelas Vocações 15 de maio de 2011

Queridos irmãos e irmãs!

O 48 o Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que será celebrado em 15 de Maio de 2011, o IV Domingo de Páscoa, nos convida a refletir sobre o tema: "Propor Vocações na Igreja Local". Setenta anos atrás, o Venerável Pio XII criou a Pontifícia Obra das Vocações Sacerdotais.  Organismos semelhantes, liderados por sacerdotes e os fiéis leigos, foram posteriormente estabelecidas pelos Bispos em muitas dioceses, como resposta ao chamado do Bom Pastor que, "quando viu as multidões, teve compaixão deles, porque eram como ovelhas sem pastor ", e passou a dizer:".! A messe é grande mas os operários são poucos Rogai ao Senhor da messe que mande operários para sua messe " (Mt 9:36-38). (Mt 9:36-38).

O trabalho de cuidado incentivar e apoiar as vocações encontra uma fonte radiante de inspiração naqueles lugares no Evangelho, onde Jesus chama os seus discípulos a segui-lo e treina-los com amor e carinho.   Devemos prestar muita atenção à maneira que Jesus chamou os seus associados mais próximos de anunciar o Reino de Deus (cf. Lc 10:9).  Em primeiro lugar, fica claro que a primeira coisa que fez foi orar por eles: antes de chamar eles, Jesus passou a noite sozinho em oração, a escuta da vontade do Pai (cf. Lc 6,12) dentro de um espírito de desapego interior das preocupações mundanas.  É conversa íntima de Jesus com o Pai, que resulta na chamada dos seus discípulos.  Vocações ao sacerdócio ministerial e à vida consagrada são em primeiro lugar o fruto do contato constante com o Deus vivo e na oração insistente levantado ao "Senhor da messe", seja nas comunidades paroquiais, nas famílias cristãs ou em grupos especificamente dedicados a oração pelas vocações.

No início de sua vida pública, o Senhor chamou alguns pescadores na costa do Mar da Galiléia: "Siga-me e eu vos farei pescadores de homens" (Mt 4:19).  Ele revelou sua missão messiânica para eles por muitos "sinais" que mostrou seu amor pela humanidade e do dom da misericórdia do Pai.  Através de suas palavras e sua forma de vida que ele preparou para continuar sua obra salvífica.  Finalmente, sabendo "que a sua hora tinha chegado a sair deste mundo para o Pai" (Jo 13:1), Ele confiou-lhes o memorial da sua morte e ressurreição, e antes de subir ao céu, ele os enviou para o todo mundo com o comando: "Ide, pois, fazei discípulos de todas as nações" (Mt 28:19).

É um convite desafiador e estimulante que Jesus se dirige àqueles a quem ele diz: "Segue-me!". Ele os convida a se tornar seus amigos, para ouvir atentamente a sua palavra e viver com ele.  Ensina-lhes o compromisso total com Deus e com a extensão de seu reino, em conformidade com a lei do Evangelho: "Se o grão de trigo que cai na terra não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto" (Jo 12:24).  Ele os convida a deixar para trás a sua própria agenda estreitas e suas noções de auto-realização, a fim de mergulhar em uma outra vontade, a vontade de Deus, e ser guiado por ele.  Ele dá-lhes uma experiência de fraternidade, um nascido de que a abertura total a Deus (cf. Mt 12:49-50), que se torna a marca registrada da comunidade de Jesus: "Nisto todos saberão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros "(Jo 13:35).

Não é menos desafiadora para seguir a Cristo hoje.  Significa aprender a manter o nosso olhar fixo em Jesus, crescendo próximo a ele, ouvindo a sua palavra e encontrá-lo nos sacramentos, o que significa aprender a conformar a nossa vontade à d'Ele. exige uma verdadeira escola de formação para todos aqueles que se preparam para o sacerdócio ministerial ou da vida consagrada, sob a orientação das autoridades competentes eclesial.  O Senhor não deixa de chamar as pessoas em todas as fases da vida para compartilhar em sua missão e para servir a Igreja no ministério ordenado e à vida consagrada.  A Igreja é "chamada a proteger este dom, a estimá-lo e amá-lo. Ela é responsável pelo nascimento e desenvolvimento das vocações sacerdotais" (João Paulo II, pós-sinodal Pastores Dabo Vobis).

Principalmente nestes tempos, quando a voz do Senhor parece ser abafada por "outras vozes" e seu convite a segui-lo pelo dom da própria vida pode parecer muito difícil, cada comunidade cristã, cada membro da Igreja, às necessidades conscientemente a sentir a responsabilidade de promover as vocações.  É importante incentivar e apoiar aqueles que demonstram sinais claros de um chamado à vida sacerdotal e de consagração religiosa, e para permitir hem sentir o calor de toda a comunidade como eles respondem "sim" a Deus e à Igreja.  Encorajo-os, com as mesmas palavras que dirigi aos que já optou por entrar no seminário:. "Você fez uma coisa boa porque as pessoas sempre têm necessidade de Deus, mesmo em uma época marcada por domínio técnico do mundo e globalização: eles sempre precisam de um Deus que se revelou em Jesus Cristo, o Deus que nos reúne na Igreja universal, a fim de aprender com ele e através dele o verdadeiro significado da vida e, a fim de defender e aplicar as normas da verdade humanidade "(Carta aos seminaristas, 18 de outubro de 2010).
É essencial que cada Igreja local se tornar mais sensível e atento à pastoral vocacional, ajudando crianças e jovens em particular, em cada nível da paróquia, família e associações - como Jesus fez com seus discípulos - a crescer em um verdadeiro e afetuoso amizade com o Senhor, cultivada através da oração pessoal e litúrgica, para crescer na familiaridade com as Sagradas Escrituras e, assim, ouvir atentamente e com fruto a palavra de Deus; a entender que entrar na vontade de Deus não esmagar ou destruir uma pessoa, mas sim leva à descoberta da mais profunda verdade sobre nós mesmos e, finalmente, a ser generosos e fraternos nas relações com os outros, pois só em estar aberto para o amor de Deus que descobrimos a verdadeira alegria ea satisfação de nossas aspirações.

"Propor Vocações na Igreja Local" significa ter a coragem, através de uma preocupação atenta e adequada para as vocações, para apontar desta forma desafiadora de seguir a Cristo que, porque é tão rica em significado, é capaz de envolver toda a sua vida .

Dirijo uma palavra especial a vocês, meus queridos Irmãos no Episcopado.  Para garantir a continuidade eo crescimento de sua missão salvífica em Cristo, você deve "fomentar as vocações sacerdotais e religiosas, tanto quanto possível, e deve ter um interesse especial em vocações missionárias" (Christus Dominus).

O Senhor precisa de você para cooperar com ele para assegurar que a sua chamada alcança o coração daqueles que ele escolheu.  Escolha com cuidado aqueles que trabalham no Escritório de Vocações da Diocese, o que significa valioso para a promoção e organização da pastoral de vocações ea oração que a sustenta e garante a sua eficácia.  Também gostaria de lembrar a vocês, queridos irmãos Bispos, da preocupação da Igreja universal para uma distribuição equitativa dos sacerdotes no mundo. Sua abertura para as necessidades das dioceses experimentando uma escassez de vocações se tornará uma bênção de Deus para as vossas comunidades e um sinal para os fiéis de um serviço sacerdotal que generosamente considera as necessidades de toda a Igreja.

O Concílio Vaticano II recordou-nos explicitamente que "o dever de fomentar as vocações pertence a toda a comunidade cristã, que deve exercê-lo, acima de tudo por uma vida plenamente cristã" (Optatam Totius).  Gostaria, então, para dizer uma palavra especial de reconhecimento e incentivo para aqueles que trabalham em estreita colaboração de várias maneiras com os padres em suas paróquias.  Em particular, dirijo-me aos que pode oferecer uma contribuição específica para a pastoral das vocações: aos sacerdotes, famílias, catequistas e líderes de grupos paroquiais.  Peço sacerdotes para testificar a sua comunhão com seu bispo e seus colegas padres, e, portanto, para fornecer um terreno fértil para as sementes de uma vocação sacerdotal.Famílias podem ser "animada pelo espírito de fé e amor e pelo sentido do dever" (Optatam Totius) que é capaz de ajudar as crianças a acolher com generosidade ao chamamento ao sacerdócio e à vida religiosa.  Catequistas de Maio e líderes de grupos católicos e movimentos eclesiais, convencido da sua missão educativa, procuram "guia os jovens que lhes estão confiadas, para que estes reconhecem e acolhem livremente a vocação divina".

Queridos irmãos e irmãs, seu compromisso com a promoção e cuidado das vocações se torna mais significativa e pastoralmente eficaz quando realizada na unidade da Igreja e ao serviço da comunhão. Por esta razão, a cada momento na vida da comunidade da Igreja - catequese, encontros de formação, oração litúrgica, romarias - pode ser uma preciosa oportunidade para despertar no povo de Deus, e em particular nas crianças e jovens, um sentimento de pertença à Igreja e de responsabilidade para atender a chamada ao sacerdócio e à vida religiosa por uma decisão livre e esclarecido.

A capacidade de fomentar as vocações é uma marca registrada da vitalidade de uma Igreja local.  Com confiança e perseverança invoquemos a ajuda da Virgem Maria, que pelo exemplo de sua própria aceitação do plano salvífico de Deus e sua poderosa intercessão, cada comunidade vai ser cada vez mais aberta a dizer "sim" ao Senhor, que é constantemente chamar novos trabalhadores para a sua messe. Com estes votos, de coração concedo a todos a Bênção Apostólica.
Papa Bento XVI


Nenhum comentário:

Postar um comentário